GUERRA GUARANÍTICA

GUERRA GUARANÍTICA
A RESISTÊNCIA

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

O TRATADO DE MADRID

Como vimos anteriormente ao longo dos séculos diversos tratados foram firmados entre Portugal e Espanha para dividir as terras "conquistadas" mas para os nativos da America do sul a coisa começou a ficar feia mesmo após o TRATADO DE MADRID, firmado em 13 de janeiro de 1750, entre o rei de Portugal D.João V e Fernando VI da Espanha.
Este tratado foi planejado por ALEXANDRE DE GUSMÃO, ministro de D.João V. Ele conseguiu convencer o monarca que convinha a portugal uma porção do território das Missões do Paraguai, que eram 30 aldeias situadas no centro e na zona superior dos rios Uruguai, Paraná e Paraguai. Dessas 30 reduções sómente 8 se acham dentro do território da atual República do paraguai, enquanto 15 estão em território Argentino e 7 estão situadas no Brasil, especificamnete no Rio Grande do Sul.Isto lhe assegurava a fronteira natural, do que a distante COLONIA DO SACRAMENTO, constantemente ameaçada , exigindo caríssimas medidas de defesa, incompatíveis com os recursos bélicos de Portugal.
Gusmão convenceu o Rei de Portugal que, embora perdessem a COLONIA DO SACRAMENTO estas novas divisas abririam facilidades na possivel descoberta e exploração de jazidas de ouro no território
missioneiro e o rei de Portugal não via interesse algum aqui que não fossem interesses econõmicos.

EIS UM  DOS ARTIGOS QUE CONSTAVA NO TRATADO DE MADRID:

"Das povoações ou aldeias que cede sua MAGESTADE  CATÓLICA  NA MARGEM ORIENTAL DO URUGUAI,  sairão os MISSIONÁRIOS (jesuítas) com todos os móveis, e efeitos, levando consigo OS ÍNDIOS  para aldear em outras terras de Espanha, e os referidos INDIOS   poderão levar também todos os seus móveis e semoventes, e as ARMAS, pólvora e munições que tiverem, em cuja forma entregarão as povoações à COROA DE PORTUGAL , com todas as suas casas, Igrejas e Edifícios e a propriedade e posse do terreno....!
O Território cedido da Espanha para Portugal compreendia os 7 POVOS DAS MISSÕES: SÃO BORJA, SÃO NICOLAU, SÃO MIGUEL,SÃO LUIS GONZAGA, SÃO LOURENÇÕ,SÃO JOÃO BATISTA,SANTO ANGELO, que eram trabalhados pelos jesuítas desde o ano de 1682!

Aí começou o conflito deveras, os jesuítas haviam já organizado todo este povo, pode-se dizer um exemplo de bem estar e organização social, deixando de lado algumas normas da Igreja Católica de então, mas viviam bem, muito bem, se desenvolvendo em todos os aspectos espirituais e humanos.
Os portugueses  e espanhóis sabiam que haveria resistencia e se prepararam para fazer cumprir o TRATADO à força, se fosse necessário.
No ano de 1732 a população dos SETE POVOS  contava com  39.343 "almas"- almas- era a forma de designar os indígenas.

Além disso deram prazo de apenas um ano para efetuar a mudança!
Nesta época a Europa não tinha a menor idéia para compreender  a dimenção do problema da execução deste Tratado, longe demais para entender a dimensão deste negócio!

mapa dos movimentos dos exércitos indígenas e espanhóis e portugueses.
Começa aí uma série de manobras por parte dos padres jesuítas, tentando retardar ou reverter a situação, os indígenas recusaram-se a obedecer esta ordem, Portugal e Espanha juntaram-se em armas para fazer cumprir o TRATADO e ainda no meio de tudo isso a ORDEM DA COMPANHIA DE JESUS mandou um representante, com o aval DO SUMO PONTÍFICE PARA FAZER CUMPRIR AS ORDENS! FOI O COMEÇO DE DIVERSAS CAMPANHAS QUE CULMINARAM   COM A GUERRA GUARANÍTICA, LEVANDO OS INDIOS DESVANTAGEM POR NÃO TEREM ARMAS PARA ENFRENTAR OS DOIS EXÉRCITOS.

























sul







.