GUERRA GUARANÍTICA

GUERRA GUARANÍTICA
A RESISTÊNCIA

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

O PADRE ROQUE GONZÁLES-A MORTE DE UM PIONEIRO

bibliografia;joão simões Lopes neto

"entrados no território do Rio  Grande doSul os jesuítas percorreram-no em várias direções e, além dos três núcleos de reduções estabelecidos, ergueram capelas-)como ocorreu aqui em Passo Fundo entre 1632/1637/ com a Redução de Santa Teresa-)  em outros pontos distantes daqueles. As capelas eram pequenos ranchos toscos, com o seu altar ao fundo a solene imagem do Santo Padroeiro da redução; e assinalaram o seu caminhamento dando às serras, rios e campos cruzados nomes de sua escolha ou fixando outros e o das tribos índigenas.
Um dos mais ativos e andejos destes fundadores foi o jesuíta Roque González que desceu até a serra que chamos dos Tapes, e, adentro dela, em sítio muito aprazível e bem escolhdo fundou a capela de Nossa Senhora de conceição de Canguçu.
Daí subiu o padre Roque para as reduções principais, estacionando sobre o Ijuí-grande, não longe de São Nicolas, onde havia recém acabada uma capela denominada DE TODOS OS SANTOS.

Então umcacique deste aldeamento chamado Nheçu não gostou da presença do padre e da interferência do mesmo nos costumes tribais resolveu vingar-se dele, por entender que este era um forte concorrente e tomava dele-Nheçu-o domínio da tribo.

Em uma manhã, quando o padre Roque Gonzáles, depois de ter dito a missa , fazia suspender um sino para o campanário da capela, um índio da confiança do cacique Nheçu, prostrou-o e depois partiu-lhe o cranio a golpes de macana. Logo rompeu grande alarido entre os índios presentes, conjurados ou não, o que fez comparecer outros  padres  companheiros de Gonzáles que também foram mortos e tambem um indígena que o acompanhava..

O arranchamento foi reduzido a cinzas pelos amotinados, ficando quase carbonizados os corpos dos tres padres. Depois os confrades destes recolheram o que restou  dos corpos.
Esta , pode-se dizer, foi a única revolta ferrenha e cruel contra os jesuítas.


Porém o CORAÇÃO DO PADRE  ROQUE FICOU INTACTO, O QUE É CONSIDERADO UM MILAGRE.
dicionário;significado de "macana"
 . O macana, de Taíno origem, refere-se a várias armas de madeira usado pelos nativos de diversas culturas Central e América do Sul .
 tipo espada feita de madeira, mas ainda afiado o suficiente para ser perigoso. [1] O termo é também aplicado ao semelhante asteca arma, que está repleta de pedaços de obsidiana , a fim de criar uma lâmina, embora algumas autoridades distinguir este item usando o Nahuatl nome macuahuitl .
No  espanhol atual a palavra ampliou-se para se referir a vários tipos de armas sem corte de madeira, especialmente um policial cassetete .


Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
São Roque Gonzales de Santa Cruz
Roque González de Santa Cruz.jpg
Padre Roque Gonzáles
Nascimento1576 em Assunção, Paraguai
Falecimento15 de Novembro de 1628
Veneração porIgreja Católica
Beatificação28 de janeiro de 1934 por: Papa Pio XI
Canonização16 de maio de 1988, Assunção por: Papa João Paulo II
Festa litúrgica17 de Novembro
Portal dos Santos
Roque Gonzales de Santa Cruz, SJ ou Roque Gonzales, SJ, (Assunção, 1576Caibaté, 15 de novembro de 1628) foi um religioso natural do Paraguai que entrou na história do Brasil meridional ao tentar disseminar a religião católica entre os povos originais das terras do oeste do Rio Grande do Sul.
Juntamente aos padres Afonso Rodrigues e João de Castilho (ou Juan del Castillo na sua forma castelhana original), Roque Gonzales foi um dos primeiros evangelizadores nas terras do Sul do Brasil, isto é, no território atualmente pertencente ao Rio Grande do Sul. Ele foi um homem católico dedicado à ordem dos Jesuítas e exerceu seu trabalho missionário junto aos povos Guaranis, no noroeste daquele estado brasileiro.
Roque Gonzales era filho de um pai espanhol de família nobre e cresceu em uma família de alta posição social de Assunção, no Paraguai, interagindo desde a infância com pessoas de origem e falas nativas (principalmente guarani). Alí ele onde estudou e foi ordenado sacerdote no 1599. Mais tarde ele se deslocou ao Rio Grande do Sul, em 1619, e logo cativou a simpatia dos habitantes da terra, muito provavelmente e em boa parte por causa de suas habilidades lingüísticas. Segundo o escritor Nelson Hoffmann, autor de Terra de Nheçu, somente depois de sete anos de negociações com o chefe Nheçu que lhe foi permitido estabelecer a redução de São Nicolau, precisamente em três de maio de 1626, sendo esta a primeiríssima comunidade colonizadora ao leste do rio Uruguai no atual território rio-grandense.
Mais tarde o padre Roque Gonzales fundou numerosas comunidades cristãs, chamadas Missões ou Reduções, entre elas as aldeias de São Nicolau, Assunção e Todos os Santos do Caaró.
Depois de dois anos e meio de intenso trabalho missionário, os padres Roque Gonzales e Afonso Rodrigues foram mortos em Caaró por um grupo de nativos contrários à evangelização cristã, liderados pelo pajé cacique Nheçu, um líder guarani que possuia autoridade máxima na região do atual município de Roque Gonzales, Rio Grande do Sul, e redondezas. Diz-se que os indígenas que o interceptaram teriam descarregado na cabeça de padre Roque Gonzales uma pancada com um machado de pedra que o deixara morto. Em seguida, eles teriam matado o padre Afonso Rodrigues, queimando os cadáveres. Dois dias depois, o teria chegado a vez do padre João de Castilho em uma aldeia vizinha, onde morreu após terríveis torturas. Um homem nativo, ainda catecúmeno, que se encontrava presente e que se opôs aos assassinatos, também foi trucidado junto aos missionários em Caaró. Ele é conhecido como o Cacique Adauto. Existem pessoas que acreditam que ele também, futuramente, poderia ter seu nome acrescentado aos nomes dos três mártires canonizados, porém, não exitem quaisquer indicadores ou mesmo probabilidades para que isso venha a ocorrer um dia, dadas as extensivas complexas forças e tradições envolvidas.
Em Caaró, município de Caibaté, se encontra o principal santuário de veneração dos Santos Mártires (como ficaram conhecidos), visitado permanentemente por caravanas de romeiros. Ali se realiza cada ano uma grande romaria, no terceiro domingo de novembro.
Aos 28 de janeiro de 1934, o Papa Pio XI beatificou os missionários mártires e, aos 16 de maio de 1988, em visita a Assunção, no Paraguai, o Papa João Paulo II os declarou santos.

[