GUERRA GUARANÍTICA

GUERRA GUARANÍTICA
A RESISTÊNCIA

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

povoadore)

sábado, 19 de novembro de 2011

fotos DE UNIFORMES E ARMAS

espadas....
diversos tipos de espadas, ....


armas
 
Á ESQUERDA UM MARAGATO, Á DIREITA UM  CHIMANGO, APENAS PENSO QUE ERRARAM NA COR DO LENÇO DEVERIA SER BRANCO  AO FUNDO AS LANÇAS DE FERRO..... 
FUZIL COM BAIONETA, OUTRA ARMA USADA NA REVOLUÇÃO FEDERALISTA
UNIFORME DE CHIMANGO, OU PICAPAU, PARTIDÁRIO DE BORGES DE MEDEIROS, SÓ O LENÇO VERMELHO NÃO É O REAL, DEVERIA SER BRANCO.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

O QUE VAMOS ESTUDAR DE AGORA EM DIANTE

AS LANÇAS DE FERRO USADAS NAS GUERRAS DO SUL DO BRASIL, MAIS UTILIZADAS PELOS LANCEIROS NEGROS.

DE TUDO UM POUCO, ESTE BLOG ABORDOU PRIMEIRAMENTE OS INDÍGENAS QUE HABITAVAM O SUL DA AMÉRICA DO SUL, AS REDUÇÕES JESUÍTICAS, DEPOIS A DESTRUIÇÃO DAS MESMAS E O QUE VEM DEPOIS, AS LUTAS ENTRE OS PAÍSES  PARA DEMARCAR O TERRITORIO QUE FORMA A AMERICA LATINA, O SUL, ATUALMENTE, PRINCIPALMENTE DO BRASIL COM OS PAÍSES LIMÍTROFES:URUGUAI, ARGENTINA E PARAGUAI.
MUITO AINDA VAMOS ESTUDAR DESTE PASSADO QUE POUCOS CONHECEM, VOU DETALHAR MAIS AGORA A REVOLUÇÃO FARROUPILHA, A GUERRA DO PARAGUAI E A REVOLUÇÃO FEDERALISTA.
CHAMA-SE "A GUERRA DO PARAGUAI" O CONFLITO QUE SE DEU ENTRE OS PAÍSES: BRASIL, ARGENTINA E URUGUAI, ENFRENTANDO O PARAGUAI, COMANDADO POR SOLANO LOPES, QUE CULMINOU COM UMA TAL DESTRUIÇÃO DESTE POVO, QUE ERA CONSIDERADO O MAIS INDEPENDENTE E AVANÇADO DO SUL DA AMÉRICA, POIS DIZ-SE QUE PRATICAMENTE TODOS OS HOMENS(INCLUINDO ADOLESCENTES) MORRERAM NESTE CONFLITO, DAÍ ATÉ ENTÃO O PARAGUAI NÃO MAIS SE REERGUEU COMO SOBERANO, SABEMOS QUE NO PARAGUAI O COMERCIO E AS OUTRAS ATIVIDADES LUCRATIVAS ESTÃO NAS MÃOS DE ESTRANGEIROS, ORIENTAIS, ÁRABES, BRASILEIROS, A PARTE DA AGRICULTURA DE EXPORTAÇÃO, SOBRANDO AOS PARAGUAIOS NATIVOS POUCA COISA....
ESPERAMOS QUE COM OS NOVOS GOVERNOS DEMOCRÁTICOS ISTO SEJA SANADO, EM PARTE MAS  VAI  DEMORAR  ANOS....

A REVOLUÇÃO FARROUPILHA FOI UM CONFLITO DO RIO GRANDE DO SUL CONTRA O IMPERIO BRASILEIRO, NÃO É COMO MUITOS PENSAM UMA TENTATIVA DE SEPARAR O RIO GRANDE DO SUL DO BRASIL, MAS FOI UMA REVOLTA DOS ESTANCIEIROS, QUE ERAM CASTIGADOS PELO GOVERNADOR DA  PROVINCIA POR POUCO E NADA, PRESOS, MORTOS, PERSEGUIDOS, ATÉ QUE O MAIS VISADO DELES, BENTO GONÇALVES DA SILVA RESOLVEU ORGANIZAR UMA INSSURREIÇÃO PARA  DERRUBAR ESTE GOVERNADOR E ASSUMIR O COMANDO DA PROVINCIA, JUNTO COM OUTROS TANTOS, COMO DAVID CANABARRO, GENERAL NETTO, CORTE REAL, E QUE TEVE A PARTICIPAÇÃO DE ALGUNS ITALIANOS QUE ESTAVAM AQUI FUGIDOS DAS PERSEGUIÇÕES, O MAIS FAMOSO DELES GIUSEPPE GARIBALDI, QUE CASOU COM UMA LAGUNENSE, ANITA, MULHER GUERREIRA. PORÉM ESTE CONFLITO TAMBEM RESULTOU EM MAIS PREJUÍZO QUE LUCRO, DURANDO 10 ANOS. NÃO HOUVE VENCIDOS NEM VENCEDORES.
O TERCEIRO CONFLITO ARMADO FOI O QUE SE CHAMA DE "REVOLUÇÃO FEDERALISTA, DUROU APENAS DOIS ANOS, ENTRE OS GAUCHOS , PELA DISPUTA DO PODER ENTRE JULIO PRATES DE CASTILHOS  E GASPAR SILVEIRA MARTINS. COMEÇOU  EM FEVEREIRO DE 1893 E TERMINOU EM AGOSTO DE 1895. OS PARTIDÁRIOS DE JULIO PRATES DE CASTILHOS ERAM CHAMADOS DE "PICA PAUS OU CHIMANGOS E OS PARTIDÁRIOS DE GASPAR SILVEIRA MARTINS ERAM CHAMADOS DE "MARAGATOS.

DI\Z-SE  QUE ESTA FOI UMA GUERRA DE GUERRILHAS, TÃO VIOLENTA ENTRE OS PROPRIOS GAÚCHOS, ALGUNS CHAMAM TAMBEM A ÉPOCA DE DEGOLA, POIS  DE UM E DE OUTRO LADO QUANDO CAPTURAVAM PRISIONEIROS, AO INVÉS DE LEVÁ-LOS A JULGAMENTO OS DEGOLAVAM COM ADAGAS...HOUVERAM MUITOS COMBATES, INCLUSIVE UM AQUI EM PASSO FUNDO, QUE FICA EM UM LUGAR CHAMADO "PULADOR" .ALI HOUVE UM CONFRONTO ENTRE CHIMANGOS E MARAGATOS QUE DEIXOU NADA MENOS  , DIZEM, ALGUNS, 1.500 MORTOS.
OS COMBATES ATÉ ESTA ÉPOCA ERAM CORPO A CORPO, UTILIZAVAM OS CAVALOS COMO  MONTARIA, LANÇAS, ADAGAS, BAIONETAS, FUZIS....ESTIMA-SE QUE ESTA LUTA TENHA DEIXADO EM TORNO DE 10.000 GAÚCHOS MORTOS, SE BEM QUE HOUVERAM CONFLITOS QUE SE ESTENDERAM AO TERRITÓRIO DO PARANÁ E DE SANTA CATARINA

FIZEMOS ALGUMAS FOTOS DA EXPOSIÇÃO DO MUSEU DE ARTES  RUTH SCHNEIDER AQUI EM PASSO FUNDO ONDE MOSTRA.ALGUMAS ARMAS E OS UNIFORMES.
ATÉ HOJE NO RIO GRANDE DO SUL OS GAÚCHOS , QUANDO TRAJADOS A RIGOR USAM LENÇOS OU BRANCOS OU VERMELHOS, PORÉM NÃO EXISTE MAIS A RIVALIDADE ENTRE ESTE SIANL "PARTIDÁRIO" ASSIM PODEMOS DIZER.
POR ISSO MUITAS MÚSICAS REGIONAIS  CONTAM HISTÓRIAS, DIZENDO QUE O RIO GRANDE DO SUL FOI DOMADO A PATA DE CAVALO....ISTO É VERDEDE...
DEPOIS VEIO A CIVILIZAÇÃO, ASSIM PODEMOS  DIZER, O DESENVOLVIMENTOS TRAZIDO POR OUTRAS CULTURAS, OS IMIGRANTES EUROPEUS, DOS QUAIS SOU DESCENDENTE E O RIO GRANDE DO SUL FOI SE TORNANDO POUCO A POUCO UN ESTADO DO BRASIL BEM DESENVOLVIDO, MULTIETNICO , MAS TAMBEM TRAZ EM SI A CORAGEM DOS PRIMEIROS MAS LUTAS POLITICAS E O DESENVOLVIMENTO PELO TRABALHO TRAZIDO PELO IMIGRANTE EUROPEU.    

terça-feira, 15 de novembro de 2011

UM HOMEM CONTEMPORÃNEO-EDUARDO NAVARRO

Eduardo de Almeida Navarro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Eduardo de Almeida Navarro Medalha Nobel
Nascimento
Ocupaçãoprofessor, pesquisador e tradutor
Principais trabalhosTeatro de Anchieta, Poesia de Anchieta e Anchieta, Vida e Pensamento
Gênero literáriocrítica literária e método de línguas
Magnum opusMétodo Moderno de Tupi Antigo
Página oficialhttp://www.fflch.usp.br/dlcv/tupi/index.html
Eduardo de Almeida Navarro é um tupinólogo brasileiro.
Catedrático da Universidade de São Paulo, é autor do Método Moderno de Tupi Antigo, importante obra sobre a língua tupi.
Além dessa obra, recentemente redigiu o prefácio, notas de rodapé e traduziu um trecho da reedição do livro Uma Festa Brasileira, de Ferdinand Denis. A primeira edição desse livro havia sido lançada em 1850, em Paris. A reedição foi lançada em outubro de 2007, com versão bilíngue em francês e português. O trecho do livro traduzido pelo professor Navarro diretamente da língua tupi foram os Poemas Brasílicos, do padre Cristóvão Valente.
Também escreveu três livros sobre o padre jesuíta José de Anchieta: Teatro de Anchieta, Poemas de Anchieta e Anchieta, Vida e Pensamento.
Desde 2000, tem formado professores indígenas de língua tupi para escolas indígenas nos estados brasileiros da Paraíba e Espírito Santo. Atualmente, prepara um dicionário tupi-português[1].


VEJAM A CONVERSA DELE COM REGINA CASÉ EM "UM PE DE QUE?

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

A PITANGA

PITANGA EU COMO DESDE CRIANÇA.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Um Pé de Quê Pitanga PARTE 1

videos interessantes, não são do sul do Brasil, mas muitas palavras são, a pitanga é uma fruta silvestre que nós comemos, eu como, com muito gosto!

sábado, 8 de outubro de 2011

JÁ ESTAMOS NO SÉCULO 18, CONTINUA A DEMARCAÇÃO E O POVOAMENTO


 Para melhor demarcar o espaço do  Rio Grande do Sul, o  território foi dividido em circunscrições menores , assim cada demarcador pegava uma área e ia "colocando as estacas" este é do Brasil, este não...

No ano de 1780  as terras chamadas agora de CAPITANIA DO RIO GRANDE DE SÃO PEDRO DO RIO GRANDE eram divididas em 4 PROVÍNCIAS  que foram assim denominadas:
1-NOSSA SENHORA  DE OLIVEIRA DA VACARIA( região de cima da Serra e Planalto)Rio Pardo (fronteira ocidental) Viamão (núcelo central , sede do Governo e Capital do Continente  do Rio Grande , e Rio  Grande de São   Pedro (fronteira  na extremadura  meridional)

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Caramuru - a língua Tupi

se não tivessem proibido de falar o  tupi Guarani  nós poderíamos ser bilingues!

A língua guarani no Brasil

D.JOÃO V PROIBIU DE FALAR A LÍNGUA GUARANI NO BRASIL

D.JOÃO V, REI  DE PORTUGAL
COMO  DIZ NESTE VÍDEO, SE D.JOÃO V NÃO HOUVESSE PROIBIDO DE OS BRASILEIROS AINDA SOB O COMANDO DO IMPÉRIO PORTUGUES FALAR O GUARANI NÓS SERÍAMOS BILINGUES!
EXISTEM NO BRASIL ESTUDIOSOS DA LÍNGUA GUARANI, POR ESTE VÍDEO OUVE-SE COMO É MELODIOSA E AGRADÁVEL.....PENA QUE ME NEGARAM ESTE DESEJO, POR ENQUANTO, DE FALAR  FLUENTEMENTE A LÍNGUA GUARANI!

missões-mapa dos 7 povos

localização  dos 7 POVOS DAS MISSÕES.

MAPA DA REGIÃO MISSIONEIRA DO RIO GRANDE DO SUL


mapa da região missioneira


sexta-feira, 30 de setembro de 2011

O REI D.JOÃO VL TRANSFERIU-SE PARA O BRASIL


ESTA FOTO FOI  FEITA POR  MIM  RODEIO CRIOULO INTERNACIONAL DE PASSO FUNDO- ESTE GAÚCHO TEM TRAÇOS  NÍTIDAMENTE INDÍGENAS
OBSERVAMOS QUE NESTA ÉPOCA JÁ HAVIA-SE DADO A GUERRA GRARANÍTICA, E QUE , QUANDO ESCREVE-SE " ATACARAM COM UM GRUPO DE "TANTOS SOLDADOS E TANTOS INDÍGENAS" FRIZAMOS QUE QUANDO SE CONTA ESTA HISTÓRIA PENSA-SE QUE OS ÍNDIGENAS ESTIVESSEM TOTALMENTE  EXCLUÍDOS DAS LUTAS,.NÃO! MUITOS INDÍGENAS INCORPORADOS AGORA AO COMANDO PORTUGUES E NÃO MAIS ESPANHOL(CONSIDERARAM OS ESPANHÓIS TRAIDORES, POIS OS PADRES EMBORA EXPULSOS POR ORDEM REAL E PAPAL FORAM EMBORA) OS QUE RESTARAM AJUDARAM OS PORTUGUESES A CONQUISTAR O TERRITÓRIO DAS MÃOS DOS ESPANHÓIS AGORA PARA OS PORTUGUESES E TAMBEM MUITOS DELES FICARAM NAS FAZENDAS COM OS LUSO-BRASILEIROS, ERAM ÓTIMOS COM O MANEJO DO GADO E DOS CAVALOS.  



COMEÇAM AQUI  DEPOIS DO TRATADO DE SANTO ILDEFONSO AS GUERRAS CISPLATINAS.

O Tratado de Santo Ildefonso reduzira a menos  da metade  a  atual superfície do território sul-riograndense, com a perda das terras  da bacia do Uruguai.
Contudo, a exemplo dos espanhóis, que não respeitaram o Tratado de Madrid, e ainda em represália pelos amus tratos que deles recebiam, luso-brasileiros vão agora, numa terrivel vingnça , conquistar definitivamente toda a vasta região missioneira, área superior a todo o território de Portugal.
Portugal  e Espanha encontravam-se outra vez em guerra, declarada por napoleão Bonaparte, o que provocou a transferência  de D.João VI para  o  Brasil. 



FONTE:ENCICLOPÉDIA LIVRE:


Transferência da corte para o Brasil
Em novembro de 1807, D. João VI decidiu pela transferência da corte portuguesa para o Brasil, evitando ser aprisionado com toda a família real, nobreza portuguesa e o governo, tornando possível manter a autonomia portuguesa a partir do Rio de Janeiro. Contudo, o fez mais dependente em relação à Inglaterra, com a imposição da abertura dos portos brasileiros ao comércio internacional e o tratado Luso-Britânico de 1810, desastroso para a economia portuguesa, embora (ou por isso mesmo) decisiva para o progresso e a independência do Brasil.

Embarque para o Brasil do Príncipe-regente de Portugal, D. João de Bragança, e de toda a família real e nobreza portuguesa, no porto de Belém, às 11 horas da manhã de 29 de novembro de 1807. Gravura feita por Francisco Bartolozzi (1725-1815) a partir de óleo de Nicolas Delariva.
Embarcaram para o Brasil a Rainha D. Maria I, o Príncipe-regente D. João de Bragança, seus filhos D. Pedro de Alcântara e D. Miguel, sua esposa D. Carlota Joaquina de Bourbon, suas filhas as infantas Maria Teresa de Bragança, Maria Isabel de Bragança, Maria da Assunção de Bragança, Isabel Maria de Bragança, Maria Francisca de Assis de Bragança e Ana de Jesus Maria de Bragança, ainda estavam as infantas D. Maria Ana Francisca e a viúva D. Maria Francisca Benedita de Bragança, irmãs da rainha, o infante Pedro


Os Castelhanos, por ordem de napoleão, dispõem-se a invadir o CONTINENTE DE SÃO PEDRO DO RIO GRANDE, entretanto, quem vai tomar a iniciativa de atacar é o governador Veiga Cabral.
Em Jaguarão, o coronel MANUEL mARQUES DE SOUSA DERROTA OS CASTELHANOS ALI ESTACIONADOS E ALCANÇA OUTRA BRILHANTE VITÓRIA NO  Passo Da Perdiz em 17-6-1680. No dia 30 d eoutubro. toma Cerro largo, aprisionando cerca de 500 espanhóis.
Qunado Manuel dos Santos pedroso, um fazendeiro rio-grandense foi autorizado a invadir as Missões, o audacioso vaqueano José Borges do Canto, cachoeirense, ex-soldado  do Regimento de Dragões, apresentou-se com vinte companheiros de andanças.
Autorizado pelo Coronel Patricio Correia Cãmara, comandante da Fronteira do Rio pardo, Borges do Canto , com 40 soldados e 300 indios, marchou sobre a região das Missões. As Missões, agora subordinadas ao vice-rei de Buenos Aires, encontravam-se em desoladora decad~encia, motivada pela expulsão dos jesuítas e pela debaNDADA DOS ÍNDIOS.
Enquanto Santos Pedroso ocupava São martinho, o povo de sãO Nicolau e depois São Borja, Borges do Canto avançava para são Miguel, subjugando o governador espanhol D.Francisco Rodrigo, que tentava resistir. a seguir, ocupou São Luis, são João e Santo angelo.Tudo em poucos dias esta tomada  das missões.

As terras férteis e de clima ameno das Missões foram wentão doadas aos conquistadores. De São paulo deslocaram-se para cá centenas de familias. a terça  parte de curitiba e lages mudou-se para a nossa fronteira .Contrabandistas e aventureiros, que vagavam  pela região, recebiam agora terras para se fixarem definitivamente.
Operava-se, desta maneira, o que os espanhóis não fizeram :povoar toda região missioneira para desfrutá-la   e ao mesmo tempo garantir a segurança de nossa fronteira.

sábado, 27 de agosto de 2011

GUERRAS CISPLATINAS

Começaremos agora a analisar os conflitos entre o Brasil e os outros países limítrofes na disputa pela posse das terras, pela demarcação das fronteiras, que foram denominadas de GUERRAS CISPLATINAS.
Muito bem detalhadas na  enciclopédia livre, vamos nos deter em questões que geralmente estão em livros de pesquisadores regionais e que raramente chegam às mãos de quem escreve as enciclopédias, mas que estão bem pertinho de nós, muitas vezes sob a poeira de "sebos" mas que ,nós, pesquisadores , sabemos o valor do que ali está escrito. è como um garimpo, busca-se, escava-se, Leva-se muito  até chegar quase a tocar os personagens dos fatos históricos. que se sucederam nesta parte da América latina.
Fatos que aconteceram no passado, felizmente  os "portugueses' viraram brasileiros" os  "espanhóis" uruguaios, argentinos, paraguaios, e assim temos hoje a América Latina unida ou mais unida....assim , cada um com suas peculiaridades , mas em paz.



Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Guerra da Cisplatina
PuntaColares MuratureJose 1865.png
Combate em Punta Colares.
Data18251828
LocalSul do Brasil e Uruguai
DesfechoInterferência diplomática do Reino Unido, criação do Estado do Uruguai, manutenção do controle, pelo Império do Brasil, dos Sete Povos das Missões e garantia de livre navegação pelos rios da Bacia do Prata.
Intervenientes
Flag of the Second Empire of Brazil.svg Império do BrasilFlag of Argentina (1818).svg Províncias Unidas do Rio da Prata(atuais Uruguai e Argentina)
Principais líderes
Flag of the Second Empire of Brazil.svg Dom Pedro I
Flag of the Second Empire of Brazil.svg Rodrigo Pinto Guedes
Flag of the Second Empire of Brazil.svg Marquês de Barbacena
Flag of the Second Empire of Brazil.svg Carlos Frederico Lecor
Flag of Argentina (1818).svg Juan Antonio Lavalleja
Flag of Argentina (1818).svg Guillermo Brown
Flag of Argentina (1818).svg Bernardino Rivadavia
Flag of Argentina (1818).svg Francis Drummond
Flag of Argentina (1818).svg Carlos María de Alvear
A guerra da Cisplatina ou campanha da Cisplatina (espanhol: Guerra del Brasil) foi um conflito ocorrido entre o Império do Brasil e a Províncias Unidas do Rio da Prata, no período de 1825 a 1828, pela posse da Província Cisplatina, a região da atual República Oriental do Uruguai. Na historiografia argentina é denominada como Guerra do Brasil ou Guerra Contra o Império do Brasil.
Foi o primeiro de quatro conflitos armados internacionais em que o Brasil lutou pela supremacia sul-americana, tendo o segundo sido a Guerra do Prata, o terceiro a Questão Uruguaia e o último a Guerra do Paraguai. Juntos, integram o conjunto das Questões Platinas, na História das Relações Internacionais do Brasil.
O termo Cisplatina (cis, aquém, da parte de cá de + platina, relativa ao rio da Prata), indica a localização geográfica do território da antiga província, a Leste daquele rio; em castelhano era conhecida como Província Oriental del Río de la Plata, constituindo-se no atual Uruguai.
Localizada na entrada do estuário do Rio da Prata, a Província Oriental era uma área estratégica, já que quem a controlava tinha grande domínio sobre a navegação em todo o rio, acesso aos rios Paraná e Paraguai, e via de transporte da prata andina.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

DESCENDENTES DE INDIGENAS INCAS EM PASSO FUNDO

INDEPENDENTE DO MEU PORTUNHOL, ESTA MÚSICA DE FLAUTA É MUITO LINDA. ELES VENDIAM UM DVD  TIPO "CASEIRO"' DENOMINADO ""KAYNAS

Civilização Inca

Os incas viveram na região da Cordilheira dos Andes (América do Sul ) nos atuais Peru, Bolívia, Chile e Equador. Fundaram no século XIII a capital do império: a cidade sagrada de Cusco. Foram dominados pelos espanhóis em 1532.

A flauta de pã ou flauta de pan é um instrumento musical sul americano, e o nome genérico dado a instrumentos musicais constituídos por um conjunto de tubos fechados numa extremidade, ligados uns aos outros em feixe ou lado a lado. Os tubos são graduados e de diferentes tamanhos, não têm bocal e são soprados com os lábios tangenciando as extremidades superiores. Conforme o local onde são construídas, a flautas podem ter características e nomes diversos, como siringe, na Grécia antiga, nai da Romênia, siku ou antara nos Andes

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

MÚSICAS GAÚCHAS QUE CITAM "VENTOS"

esta  chama ' VENTO NORTE

Realmente o vento norte é um vento que deixa  a pessoa irritada, principalmente as mulheres....Se sairem vestindo saia, realmente terão que segurá-la,os cabelos ficam desalinhados, por isto se diz " dia de muito vento, dia de "cobra braba"

Na obra  de Erico Verissimo " O TEMPO E O VENTO" ANA TERRA sempre citava o vento como mensageiro de algo, uma de suas frases "NOITE DE VENTO, NOITE DOS MORTOS",

Talvez por meu nome ser Ana tambem tenho uma relação  quase que de amor e ódio pelos ventos riograndenses..... se sopra o minuano e estou na cama , quentinha, fico ouvindo o vento assoviar....assoviar.... e eu estou protegida... Se sopra o Norte, (nordestão) e  estou na rua , independente de estar vestida com saias, vestidos ou calça comprida, chapéus.... o chapéu é levado pelo vento, a saia, tem que  literalmente "segurar" os cabelos desalinham...dá uma sensação de raiva....mas o vento não  se alcança, não se pega, não se prende....Esta relação entre eu e os ventos riograndenses  é deveras um misto de amor e ´odio.....

OS VENTOS NO RIO GRANDE DO SUL

NO RIO GRANDE DO SUL OS VENTOS TÊEM  NOME:

1-MINUANO
2-PAMPEIRO OU PAMPEANO
3-NORDESTÃO
4-SUDESTE-O QUE VEM DO LITORAL OU ESTÁ NO LITORAL, LOCAIS PRÓXIMAS A  ELE.


Vento minuano ou simplesmente minuano é o nome dado à corrente de ar que tipicamente acomete os estados brasileiros do Rio Grande do Sul e região sul de Santa Catarina. É um vento frio de origem polar (massa de ar polar atlântica), de orientação sudoeste, algumas vezes também classificado como cortante. Ocorre após a passagem das frentes frias de outono e inverno, geralmente depois das chuvas.
Seu nome deriva dos Minuanos, um grupo indígena que habitava os campos no sul do estado brasileiro do Rio Grande do Sul.
Este dói .....e assovia.....

-PAMPEIRO-

Este sopra do continente , vem da região do pampa argentino.até está escrito em "castelhano".
Nós, gaúchos, raramente falamos "a lingua espanhola" mas sim " a lingua castelhana, o castelhano, ve dos tempos da  conquista, do reino de Castela.

Pampero

    
El Pampero es el pasaje de un frente frío (viento frío con ráfagas), proveniente de la Antártida, por lo tanto es una masa de Aire Polar, que sopla desde el sur o el sudoeste de las pampas de Argentina y de Uruguay.
En general, se produce con el pasaje de un frente frío, y a menudo, es acompañado de líneas de tormenta y de un brusco descenso de la temperatura.
Se lo llama «Pampero húmedo» cuando produce lluvias, «Pampero sucio» cuando va acompañado de tormentas de polvo y aún no ha llovido, y «Pampero limpio», cuando el viento se limpia de polvo (por efecto del temporal de lluvia).
Lo más frecuente es que los pamperos predominen durante los meses del invierno austral (desde fines de abril a fines de agosto) y que sean "secos" ya que suelen soplar desde la Antártida en una diagonal que va desde el cuadrante S.Ó. (SW) hacia las áreas anticiclónicas del N.E., al tener esta circulación precipitan la mayor parte de su humedad en las laderas occidentales de los Andes patagónicos, por este motivo aunque suelen provocar frentes fríos e incluso de temperaturas nivales es poco común que produzcan grandes nevadas (aún cuando las temperaturas estén a -0 ºC o incluso menos).


-NORTE OU NORDESTÃO-virou até letra de música! é um vento forte  e úmido;pedacito da canção:

SE UM DIA EU PUDESSE TER
A FORÇA QUE TEM OS VENTOS
IRIA VARRER DO PAGO
TANTOS DESCONTENTAMENTOS.

-DO SUDESTE Uma frente fria avança pelo litoral do Sudeste e o ar frio e úmido que chega do mar forma muita nebulosidade no leste da região, com previsão de chuva e temperatura baixa. este vento tem causado ultimamente as tempestades extratropicais, que até impedem os barcos de sairem ao mar , é típico do Litoral, mas avança pelo continente, fazendo-se sentir a  muitos quilometros de distância, só que mais ameno.

terça-feira, 21 de junho de 2011

ESBOÇO DE BIOGRAFIA DE ANDRÉ FERNADES

 

André Fernandes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Capitão André Fernandes de Santana do Parnaíba, foi sertanista de renome nos meados do século XVII em São Paulo. Silva Leme, que o chama Paulista e dos maiores sertanistas, descreve sua família no volume VII Pág. 225 (Tít. Fernandes) de sua «Genealogia Paulistana». Filho de Manuel Fernandes Ramos e de Susana Dias, nasceu por volta de 1578. Era seu irmão o sertanista Domingos Fernandes.
Órfão de pai em 1589, acompanhou a mãe e o tio Belchior Dias Carneiro para as terras virgens de Parnaiba onde o capitão-mor Jorge Correia deu sesmaria aos ditos povoadores - doação aumentada com as sesmarias requeridas pelo segundo marido de Susana, Belchior da Costa, em 26 de dezembro de 1610.
Nestes limites, à margem esquerda do rio Anhembi, André Fernandes ergueu mais tarde a capela de Santana, e tendo devassado os sertões vizinhos, pesquisando ouro, obteve para si uma sesmaria limítrofe em 23 de setembro de 1619. Formou-se um povoado em torno da capela, depois feita matriz , e a 14 de novembro de 1625 foi criada a vila de Parnaíba por provisão do conde de Monsanto, donatário da capitania
Em novembro de 1613 André Fernandes partiu de São Paulo na chefia de uma bendeira que foi ao sertão que hoje sabemos ter sido goiano, do rio Paraupava, com 30 companheiros, bandeira essa determinada pelo provedor das minas, Diogo de Quadros.
Em 1623 recebeu patente de Capitão da infantaria da ordenança de São Paulo e foi escolhido para chefiar a «monção» que levaria D. Vitória de Sá, da família de Salvador Correia de Sá, à cidade de Assunção.
Tomou depois parte na arrancada paulista contra o Guairá em 1628, e permanecendo nesta guerra até fins de 1632. «Uno de los maiores piratas y más cruel matadores de indios que fueron al certon», diz dele um cronista jesuíta.
Esteve na bandeira de Francisco Bueno que em 1637 atacou diversas reduções no sertão do Taipe, atual Rio Grande do Sul. Morto Francisco Bueno, a tropa foi dividida entre Jerônimo Bueno e André.
André Fernandes investiu contra as reduções do Tape e começou o ano de 1638 atacando duramente a redução de Santa Teresa, noroeste do rio Taquari. Com isso os jesuítas foram expulsos para além do rio Uruguai, não lhes restando mais que aldeias sobre o rio Ibicuí, mais a sudoeste.
Sofreu grande revés em Caazapamirim no final de 1638 e retornou a São Paulo. Chegou à vila em março de 1639, doente e abandonado por seus índios, apenas com a gente de seu filho Jorge Fernandes. Em 19 de abril de 1641, já restabelecido, assinou procuração dos moradores de Parnaíba ao capitão Antônio Raposo Tavares para os representar junto ao Rei.
Fez testamento em 29 de setembro de 1641 em que diz ter 63 anos e que seu único filho legítimo era o Padre Francisco Fernandes de Oliveira, deixando como filhos naturais Catarina Dias, Jorge Fernandes, Margarida Fernandes e Maria Fernandes.
Em 1643 foi fundada a vila da Parnaiba, sendo o mosteiro de São Bento doação do capitão André Fernandes: 1643 é assim o ano em que emerge, com caráter de povoação, o antigo aldeamento jesuítico de São José do Paraíba ou São José dos Campos, como se dizia então.

OBSERVAMOS QUE ESCREVERAM PROVÍNCIA DO TAIPE AO INVÉS DE "TAPE" E TAMBEM QUE ELE FOI UM DOS MAIS CRUÉIS PIRATAS E MATADORES DE ÍNDIOS.

MISSÕES JUSUÍTICAS-SEGUNDA PARTE

SEGUNDA PARTE REDUÇÕES JESUÍTICAS

Expulsos os padres espanhóis pela bandeira de André Fernandes desta região de Passo Fundo (ano de 1637) aqui era ainda só mato,os que mais permaneceram foram os Kaingangs, que são em maior numero no Rio Grande do Sul, aqui existem poucos Guaranis. Os Kaingans salvaram maior numero de indivíduos porque eram mais selvagens e ferozes e da floresta,eram  os tapuias, ou escravos, enquanto os guaranis habitavam as melhores terras, as margens dos grandes rios.
Também não podemos endeusar os indígenas, quando os Bandeirantes passavam, eles , os bandeirantes eram muito espertos e sabiam falar fluentemente a linguagem dos indígenas, se sabiam que uma tribo era inimiga da outra negociavam com esta a compra do que chamava de “almas”, era assim que os Bandeirantes e também os padres  chamavam os ditos “gentios”, compravam  por pouco e nada, por  espelhinhos, facas, algumas roupas......Existia deveras esta prática também entre os indígenas.
Neste livro Passo Fundo das Missões  está descrito um relato da volta dramática de André Fernandes, depois que daqui expulsou os padres espanhóis, criou o entreposto e deixou seu filho padre Jesuíta, chamado  Francisco  que permaneceu aqui durante 40 anos, este  lugar de passagem(entreposto),voltou para São Paulo. Com o tempo formou-se aqui a cidade que é hoje Passo Fundo.
O relato:
"REGRESSO DRAMÁTICO DE ANDRÉ FERNANDES:

O PE. Inácio de Sequeira, em página inolvidável, contida na  História da Companhia de Jesus no Brasil, de Serafim leite, volume VI, capítulo “DERRRADEIRAS MISSÕES DOS PATOS” –NARRA  A TRAGÉDIA DOS ÍNDIOS APRESADOS, TANGIDOS COMO ANIMAIS,DESTES CONFINS DO BRASIL,ATÉ O Planalto piratiningano.(Piratininga-São Paulo)
“Vendo-se assim apartar tão cruelmente não só da pátria maviosa em que nasceram, em que se tinham criado, mas ainda dos filhos caros-que sempre foram, para toda a nação, os mais doces penhores do mais terno sentimento-dos quais uns ficavam pelos matos, embrenhados, onde, para fugirem das unhas desumanas dos portugueses, iam cair nas dos tigres carniceiros....Basta dizer que um português, que descera do sertão, com muita gente, chegando à praia(Laguna) ,só em um lugar lhe morreram quase duzentas almas, cujos corpos inteiros (e muitos deles deitados em suas redes, mirrados dos grandes ventos e frios que os não deixavam apodrecer –ali estavam:criancinhas mortas aos peito das mães.... E deste caso se verá que, para os portugueses trazerem doze mil “carijós” cada ano, hão de partir do sertão com vinte e quatro mil....
Também acontece, que, ás vezes, não podendo as criancinhas aturar o passo apressado...se chegam  a elas os portugueses , e com uma desumanidade de mais que feras lhes partem as cabeças com as espadas,para que  as mães não se atrasem no caminho."
Na história de  Passo Fundo e o Rio Grande do Sul  existe esta memória triste da conquista, da luta pela posse da terra entre os portugueses e os espanhóis e no meio deles  toda esta população de indígenas, vitimas  de todos eles. Este passado triste de destruição  que faz parte da História do Rio Grande do Sul, da Redução de Santa Teresa  das Missões. Deste pequeno relato temos  ainda muito à estudar.

indigenas carijós_ eram assim chamados , conta´-se , os indígenas que habitavam às margens da lagoa dos Patos no Rio Grande do Sul. a origem do nome "carijós" significa "tirado do branco", diz a história que uma nau portuguesa naufragou na costa  riograndense e 4 portugueses que se salvaram passaram a conviver com uma tribo de guaranis e mesclando-se com eles formaram esta população que não era somente de sangue indígena, mas já mesclado com o portugues.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

biografia do bandeirante RAPOSO TAVARES

PARA TER UMA IDEIA DO QUE ERA UM BANDEIRANTE!


Raposo Tavares

Bandeirante paulista do século XVII nascido em São Miguel de Beja, Portugal em 1598. Em 1628 convicto de que lucros ambiciosos jaziam no sertão, desafiando a coragem dos audaciosos, Raposo dedicou-se a organizar uma bandeira que realizasse o seu sonho. Aprontou uma das maiores e mais poderosas que foram organizadas. Em setembro Tavares deixou São Paulo, acompanhado de sua gente, que eram 3.000 homens. Tomando o caminho do Sul, e seguindo até alcançar as cabeceiras do Nordeste, fixou-se em pontos convenientes daquela região. Empenhou-se em assegurar a posse dos atuais Estado do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Mato Grosso; ocupados então pelas reduções jesuítas. Na confusão da luta, vários indígenas conseguiram fugir, indo refugiar-se no aldeamento jesuístico em Guaíra; em terras espanholas. O bandeirante não se conformou. Não podia deixar fugir assim aquele lucro esperado, certo de que afinal julgava merecido. Não hesitou, ordenou seus comandantes a capturar os fujões. Aquela povoação não ia abrigar mais nenhum índio medroso. Mandou incendiá-la completamente, capturando não só os que haviam refugiado, como também os 3.000 escravos indígenas que depois foram vendidos a outras capitanias brasileiras. Durante certo tempo os índios representavam o que de maior havia no sertão. Era muito mais fácil encontrá-los do que descobrir minas ou batear rios. Nome completo: Antônio Raposo Tavares





RELATO DO PRIMEIRO PERÍODO JESUÍTICO

RELATO DO PRIMEIRO PERÍODO DAS REDUÇÕES JESUÍTICAS EM PASSO FUNDO.


AQUI TENHO ESTE LIVRO PASSO FUNDO DAS MISSÕES,  É UM LIVRO RARO ESCRITO PELO PROFESSOR  PESQUISADOR JORGE  E.CAFRUNI, NÃO EXISTE MAIS  PARA VENDA, POR ISSO TENHO UMA CÓPIA DELE.
É TAMBÉM BASEADO NOS LIVROS DE ANTONINO XAVIER E OLIVEIRA E NARRA A ESTADA DOS PADRES JESUÍTAS AQUI EM PASSO FUNDO NA TENTATIVA DE FORMAR NOVAS REDUÇÕES.
 AQUI EM PASSO FUNDO A REDUÇÃO SE CHAMAVA SANTA TERESA, MAS DUROU APENAS QUATRO ANOS, POR ISSO NÃO CHEGARAM A ERIGIR TEMPLOS.
OS INDIGENAS QUE AQUI HABITAVAM ERAM CHAMADOS TAPES, MAS ERAM OS MESMOS GUARANIS E O CACIQUE SE CHAMAVA GUARAÉ OU QUARAÉ  QUE QUER DIZER “AQUELE QUE BATE FORTE” , ALGUNS O LIGAM AO NOME DO RIO QUARAÍ.
A TABA DO CACIQUE GUARAÉ FICAVA NO POVINHO DA ENTRADA OU POVINHO VELHO, BEM NA ENTRADA DE PASSO FUNDO, JUNTO ÀS NASCENTES DO RIO JACUÍ, na estrada que vai para Ciríaco, Lagoa Vermelha, vacaria.... E FOI ELE MESMO QUE MANDOU CHAMAR OS PADRES, POIS ACHOU BOA A ORGANIZAÇÃO  DE REDUÇÃO.
Os tapes dominavam  dali para a atual Passo Fundo, a outra parte que vai para Mato Castelhano,Campo do Meio,  era dominada pelos kaingangs, que eram inimigos dos Tapes.
Os Tapes – TAPE SIGNIFICA  “POVO GRANDE” – ficaram 4 anos apenas em contato com os jesuítas espanhóis, fundada em 1632 durou até 1637.
Os padres espanhóis introduziram o gado aqui nesta região de Passo Fundo, pois como as reduções da banda oriental do Uruguai já haviam sido destruídas eles tinham projetos de criar  aqui mais reduções. , mas que não se concretizaram.
Quando os padres voltaram do primeiro contato o cacique  Guaraé já tinha organizado a tribo em forma de redução, mas habitavam em ocas, toscos casebres.
Por aqui já andavam os Bandeirantes e na  véspera de natal estavam 4.ooo guaranis reunidos para a celebração , quando , de improviso chegou a Bandeira de André Fernandes,  chegou, entrou, participou da celebração e no final rendeu os padres espanhóis.
Os bandeirantes tinham interesses pessoais e para seus reis, suas coroas, que eram:
-procurar metais preciosos
-aprisionar índios e levá-los como escravos
-demarcação e povoamento do território
André Fernandes chegou na véspera de Natal trazendo consigo um padre jesuíta filho dele, chamado Francisco, português, que permaneceu AQUI POR 40 ANOS, DIZEM.
Criou um entreposto  aqui em Passo Fundo,  por onde passavam todos os bandeirantes  e depois os tropeiros que iam até o Uruguai, a Argentina e Peru, Bolivia  para as MINAS DE PRATA DO POTOSI.
Criado o entreposto e deixado o filho dele PADRE FRANCISCO,  JESUITA PORTUGUES   AQUI , ANDRÉ Fernandes  voltou para são Paulo, mas DIZEM, , morreu na viagem.
Quanto ao cacique Guaraé, não se sabe o destino, se fugiu, se foi morto, se foi aprisionado....
Os Bandeirantes  trabalhavam para o interesse de suas coroas, existe em São Paulo o busto de Raposo Tavares, que foi um dos maiores bandeirantes, mas a discussão, bandeirantes eram heróis ou bandidos?
Na verdade, eles estavam à serviço de seus reis , de suas coroas.
Então, a partir de 1637 é que começou o povoamento desta grande região, que era só mato.

sábado, 18 de junho de 2011

quinta-feira, 19 de maio de 2011

terça-feira, 17 de maio de 2011

E AGORA, JOSÉ?

Até aqui,neste blog um tanto dos acontecimentos principais até a guerra guaranítica. Não pensemos porém que as disputas pela divisão do território terminaram aí, mais que nunca , continuaram.
começa agora uma nova etapa na colonização do Rio grande do Sul, chamado então de Provincia , e não Estado, como são chamados agora dentro da Federação.
Tambem , na nossa imaginação pensamos talvez que os indigenas desapareceram por completo da companhia ou dos portugueses ou dos espanhóis.Não. No entanto,muitos potugueses e espanhóis que tiveram filhos, e muitos com as mulheres indigenas , estes ou ficavam com os espanhóis ou ficavam com so portugueses nas disputas das terras,nos conflitos, indo até que ficaram estabilizadas as divisas dos tempo presente.
De agora em diante falaremos sobre  o povoamento do Rio Grande do Sul depois da guerra guaranitica e das guerras cisplatinas, ou seja, entre os países da bacia do Prata, vizinhos.
Felizmente hoje mantemos boas relações com todos e assim esperamos que continue.

pintrura representando um enfrentamento na REVOLUÇÃO FRROUPILHA
COM A ESCRAVIDÃO TAMBEM A LENDA DO NEGRINHO DO PASTOREIO ÉDO FOLKLORE DO RIO GRANDE DO SUL
SEMPRE A CAVALO

MAPA DE PORTO ALEGRE, MOSTRANDO MURALHAS AO REDOR.
A CRUZ DOS DEGOLADOS, É UMA MARCA DA REVOLUÇÃO FEDERALISTA ONDE OS CHIMANGOS(LENÇO BRANCO)QUE VEM DO PARTIDO BLANCO- DEGOLARAM 12 MARAGATOS-OS DE LENÇO VERELHO 
A FAMA DE PELEADOR
LOCALIZAÇÃO DE PORTO ALEGRE DENTRO DO MAPA DO RIO GRANDE DO SUL
SIMBOLO DE PORTO ALEGRE , A ESTÁTUA EM BRONZE QUE CHAMA " O LAÇADOR" TOMOU POR MODELO O FOLKLORISTA PAIXÃO CORTES.
Tambem houveram muitas  outras guerras dentro do Rio Grande do Sul pela disputa do poder central da Província ou Estado, sendo a primeira chamada de Revolução  Farroupilha, mas depois houveram outras, tambem sangrentas. O Rio Grande do sul foi sendo demarcado e povoado  entre banhos de sangue, patas de cavalo e importação de mão de obra, como a dos imigrantes europeus no final do séuclo 18.   

segunda-feira, 18 de abril de 2011

NA GARGANTA DO DIABO

LAGO DE ITAIPU-BY ANA MARIA SEGANFREDDO

NATUREZA EXUBERANTE

VOLTADOS PARA OS TURISTAS DO  EXTERIOR, PENSANDO QUE COMO  VIVEM EM PAÍSES EM QUE O FRIO SE FAZ SENTIR MUITO FORTE O BRASIL ESQUECE DAS BELEZAS NATURAIS DO RIO GRANDE DO SUL, SANTA CATARINA, NO PARANÁ GERALMENTE DESTACAMOS AS CATARATAS DO IGUAÇU, ESQUECEMOS A BELEZA NATURAL DO RIO GRANDE DO SUL , QUE  TAMBÉM TEM MAR, CALOR NO VERÃO....MAS O MAIS BELO DO SUL DO BRASIL SÃO NOSSAS LAGOAS, CANYONS, O SALTO DO YUCUMÂ, A SERRA GAUCHA, A CAMPANHA, OS CAMPOS, AS SERRAS...TUDO É BELO.!

TALVEZ SEJA PARA POUCOS  O PRIVILÉGIO DE VISITAR ESTES NOSSOS LUGARES MARAVILHOSOS, GIGANTES PELA PROPRIA NATUREZA!

Teaser Praia Grande

NATUREZA QUE SE DESTACA NO SUL DO BRASIL

Salto do Yucumã
O maior salto longitudinal do mundo - 1800 metros



SALTO DO YUCUMà PRÓXIMO AO RIO URUGUAI



Lagoa dos Patos

Lagoa dos Patos, no Rio Grande do Sul, Brasil. A direita, o Oceano Atlântico
Área da superfície10 144 km²
Comprimento máximo265 km
País(es) Brasil

A Lagoa dos Patos, a maior laguna do Brasil e a segunda da América Latina, situa-se no estado brasileiro do Rio Grande do Sul. Tem 265 quilômetros de comprimento e uma superfície de 10 144 km², estendendo-se na direção nor-nordeste-sul-sudoeste, paralelamente ao Oceano Atlântico






OS INDIGENAS QUE HABITAVAM ESTA REGIÃO, ÁS MARGENS DA LAGOA DOS PATOS ERAM CHAMADOS DE "CARIJÓS" POR TER ACOLHIDO 4 PORTUGUESES QUE PASSARAM A VIVER COM ELES E SE MISTURANDO Á TRIBO TIVERAM FILHOS , DAI VEM O NOME "CARIJÓ" PRETO+BRANCO
PAISAGEM DA LAGOA DOS PATOS, PERTO DE PORTO ALEGRE-RS
CANYONS



Vista do cânion do Itaimbezinho com raro céu azul

Vista do cânion do Itaimbezinho
O Itaimbezinho é um cânion (ou desfiladeiro) situado no Parque Nacional de Aparados da Serra, no Rio Grande do Sul, Brasil, a cerca de 170 km ao nor-nordeste de Porto Alegre, próximo à fronteira do estado de Santa Catarina





Wikipedia svg logo.svg Na Wikipédia, todos são alunos e professores. Leia e aprenda, edite e ensine. Wikipedia svg logo.svg

Estação Ecológica do Taim

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Vista da estação ecológica do Taim

Família de capivaras da estação.
<><>
<>
<><>
FAMILIA DE CAPIVARAS
CAPI
A Estação Ecológica do Taim (ESEC Taim) é uma das mais principais estações ecológicas do Rio Grande do Sul e um dos principais ecossistemas do Brasil. Está localizada no sul do estado gaúcho, compreendendo parte dos municípios de Rio Grande e Santa Vitória do Palmar (repartindo, mais ou menos, 30% e 70% de seu território para cada município, respectivamente). Possui uma área de 33.815 hectares, situando-se numa estreita faixa de terra entre o Oceano Atlântico e a Lagoa Mirim.

JACARÉ DE PAPO AMARELO