GUERRA GUARANÍTICA

GUERRA GUARANÍTICA
A RESISTÊNCIA

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

quinta-feira, 25 de março de 2010

O TROPEIRISMO

Caminho dos Tropeiros

terça-feira, 9 de março de 2010

sábado, 6 de março de 2010

A HISTORIA POUCO CONHECIDA

A CHEGADA DOS JESUÍTAS NA AMÉRICA DO SUL DEU-SE BEM ANTES DO QUE GERALMENTE É COMENTADO. VEJAM QUE NO SÉCULO XVI OS DISCIPULOS DE LOYOLA, O SOLDADO DE DEUS , JÁ SE ENCONTRAVAM ENTRE OS POVOS INDIGENAS. DESTES PRIMEIROS DOIS SÉCULOS DE TRABALHO POUCO RESTOU, POIS O QUE TINHA SIDO CONSTRUIDO NO PARAGUAI, ARGENTINA, PARTE DA BOLIVIA FOI DESTRUÍDO NA DISPUTA PELO TERRITÓRIO ENTRE OS PORTUGUESES E OS ESPANHÓIS. NA REGIÃO DE PASSO FUNDO/CIRÍACO NADA FICOU POIS NÃO HOUVE TEMPO DE CONTRUIR NADA. A REDUÇÃO DE SANTA TERESA DUROU DE 1632 A 1636/37.DISPERSOS OU APRISIONADOS OS INDÍGENAS REDUZIDOS DESPARECERAM POR UM BOM TEMPO. OS JESUÍTAS VOLTARAM PARA FUNDAR DEPOIS OS SETE POVOS DAS MISSÕES, NO SÉCULO XVII E A PAZ E PROSPERIDADE DUROU POR QUASE UM SÉCULO. NOVAMENTE NA DISPUTA PELO TERRITORIO PORTUGAL E ESPANHA SE ENGALFINHARAM E ENTÃO SIM...SÓ SOBRARAM RUÍNAS E OS POVOS INDIGENAS DO RIO GRANDE DO SUL NUNCA MAIS FORAM OS MESMOS!

quinta-feira, 4 de março de 2010

REDUÇÕES

REDUZIR significava reunir os povos indígenas, geralmente sempre em movimento em busca de alimentação em um local que era padronizado para que tivessem tudo o que necessitassem sem precisar se deslocar cosntantemente. assim era possivel educa-los e desenvolvê-los em todos os aspectos da vida humana! Pena que estas reduções facilitaram a preagem destes povos!

O OBJETIVO DAS REDUÇÕES JESUÍTICAS


 PROVINCIA JESUÍTICA DO PARAGUAI, que não era no Paraguai, era localizada então pelo território da atual Argentina, do uruguai,Paraguai,parte da Bolívia de Santa Catarina e Rio Grande do Sul.



Criada em 1607 a província Jesuítica do Paraguai   em deccorencia de um acordo entre a coroa espanhola   e a Companhia de Jesus-padres denominados " jesúítas, seguidores  de Ignacio de Loyola", tinha por objetivo:  da coroa espanhola de entrar no território onde viviam cerca de 100 mil índigenas guaranis sem serem trucidados por estes e dos jesúítas "conquistar almas" .A visão dos europeus cristãos era de que os indígenas deviam ser cristianizados para ganhar o céu! Da Coroa espanhola era de tomar o territorio para eles sem resistencia, o que conseguiram por um tempo....depois passaram a disputar com os portugueses...na verdade para Portugal e Espanha os indígenas eram um estorvo!. Com muito sacrifício e até pagando com suas proprias vidas os padres entraram na mata fechada e se aproximaram dos Guaranis, propondo uma organização de comunidade diferente. Os guaranis aceitaram pois viam nisso uma maneira de sobrevivencia mais fácil, em virtude da dificuldade em manter o povo alimentado e aceitara a nova organização comunitária chmada de "redução".
A desgraça desta organização  foi que os portugueses também queriam este território e passando a disputa-lo com os espanhóis, acabaram  destruídos  os indigenas e os padres jesuítas. Nesta área de 500 mil km2  de abrangencia a Provincia Jesuítica do Paraguai se organizou até o ano de 1637, quando foi tomada pelos portugueses a última redução no sul do Brasil, a Redução de Santa Teresa, no atual municipio de Passo Fundo.

NOME DAS REDUÇÕES  E ANO DE FUNDAÇÃO:

1- São Nicolau- ano de 1626
2-São Francisco Xavier- ano de 1626
3-Candelária-ano d e1627
4-Candelária-ano de 1628
5-Assunção-ano de 1628
6-Caaró- ano de 1628
7-Apóstolos-ano de 1631
8-São  Carlos-ano de 1631
9-São Tomé-ano de 1632
10-São Miguel- ano de 1632
11-Cosme e Damião-ano de 1632
12-Santa Tereza-ano de 1632
13-São José-ano de 1633
14-Natividad-ano de 1633
15-São Joaquim-ano de 1633
16-São Cristóvão-ano de 1633
17-Santana-ano de 1633
18-Jesus Maria-ano de 1633 

MAPA QUE MSOTRA AS 18 REDUÇÕES DO TAPE







A Linha vermelha mostra  o caminho dos Bandeirantes-ano de 1635)



Bandeiras:chamavam-se "bandeiras" as expedições dos paulistas  ,que tinham diversas finalidades, ou melhor , tres finalidades:
1-Bandeira de preador: visava aprisionar indigenas para vende-los como escravos para trabalhar nas lavouras de café e cana de açucar em São Paulo.,
2-Bandeira de prospector: procurava metais preciosos, ouro, prata
3-Bandeira de Sertanista  Contrato: visava combater os indígenas e os quilombolas
Os Sertanistas falavam  bem o tupi-guarani, por isso tinham facilidade em comunicar-se com os indígenas.
MONUMENTO A UM DOS MAIS CONHECIDOS BANDEIRANTES PAULISTAS, RAPOSO TAVARES.

terça-feira, 2 de março de 2010

OS GUARANIS E O TEMPO

O mes dos guaranis era o espaço de uma lua= 28 dias, assim Jaci era designação deste espaço tempo .

O DIA- era designado por ARA , e assim um SOL era um dia.
PERÍODOS DO DIA:

coema-pitã=madrugada

coema=espaço da manhã
coaraci-jaté=sol alto, meio dia
jandara= a noite
pituna= a noite
pituna pucu= noite comprida, o espaço da meia noite em diante
coaracipucu=o ano, que era também o nome no verão
curipucu=inverno= época dos pinhões, porque curi =pinhão

NUMERAIS
Petein=um
nocoin=dois
mbohapi=tres
irundi=quatro
acepó petein=cinco= uma mão
acepó mocoin=duas mãos
acepó acepi avê=vinte= duas mãos e dois pés




segunda-feira, 1 de março de 2010

OS INDIGENAS QUE POVOAVAM O PLANALTO MEDIO

Denominados TAPES os índigenas que habitavam a região do Planalto Médio eram os mesmos Guaranis com esta denominação local
TAPE= POVOAÇÃO GRANDE.
Eram inimigos dos outros grupos guaranis, porém seus usos e costumes e a fala eram semelhantes.
Uma lenda entre eles contava o motivo da inimizade:
Eis a lenda:

"Tupi e Guarani erma irmãos, ambos com numerosa família  As esposas de um e de outro entraram a disputar a posse de um papagaio, espalhando-se a contenda pela tribo inteira, advindo a separação , ficando TUPI, o mais velho , na maior parte do  atual território brasileiro, enquanto GUARANI , o mais moço buscou as terras  do  sul.

As crenças dos TAPES eram semelhantes as dos TUPIS. Realizavam ritos de iniciação, tirando o poder da mão do matriarcado e depositando na mão dos guerreiros.Ao  deus  iniciador chamavam Anhã-Tatá.
Tupã era o deus das trovoadas, Anhangá preservava a caça nos campos ,corporificado num cervo, temido pelos indígenas. Caapora era um gigante da mata , protetor  dos animais que nela habitavam, se o viam significava maus pressagios.Curupira era um duende de pés voltados para trás  , as vezes bom, as vezes mau! Pica-pau  era protetor das árvores e Urutau protetor dos pássaros..
O Pagé tinha  grande poder sobre as pessoas da tribo, era temido e obedecido, tinha grande influencia.Também desempenhou um papel importante na revolta contra os jesuítas quando estes queriam mudar-se com todo o povo reduzido, conforme os acôrdos dos governos portugues e espanhol nos tratados de Tordesilhas, e depois Santo Ildefonso, na partilha do território.
As crenças na imortalidade da alma faziam parte da religiosidade destes personagens, e , segundo a visão euroéia dos padres, era incompleta. Hoje já não vemos mais as crenças e tradições indígenas com este olhar.
consideravam que as necessidades físicas não se esgotavam com a morte, por isso deixavam as armas nas sepulturas, colocavam alí comida e bebida.
Ang= alma

com a mesma palavra denominavam SOMBRA, por exemplo, sombra do sol:=coaraci-ang, sombra da árvore=ibirá-ang.
Aos "fantasmas" denominavam Anguçu= alma grande ou sombra grande. Denominavam também as 'almas de outro Mundo' de Angoera= ang=alma  goéra ou cuera=o que foi e não é mais, pois cuera= ir
Descrito o Guarani como :de estatura média, reforçados e bem feitos . Tronco grande,pés e mãos pequenos, bem nutridos e robustos.Muito resistentes fisicamente, óbvio, viviam em constante movimento.Descritos como cruéis e impiedosos quando se consideravam afrontados, tinham gosto por pintura e tatuagem.