GUERRA GUARANÍTICA

GUERRA GUARANÍTICA
A RESISTÊNCIA

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

O QUE ESCREVEU JOÃO SIMÕES LOPES NETO SOBRE AS TRIBOS DO RIO GRANDE DO SUL

PINTURA DE INDIO CHARRUA



SOBRE AS TRIBOS RIOGRANDENSES





"Estava assim espalhada a população indígena do Rio Grande do Sul \; os MINUANOS estanciaram desde a lagoa Mirim até a margem direita do rio Camaquã e subiam pela esquerda do Jaguarão até o rio negro. Os TAPES estendiam suas tabas desde a lagoa dos PATOS(UPAVA) entre os rios Camaquã e Jacuí , prosseguindo para o norte entre Taquari e o ijuí-mirim, ainda sobre a dita lagoa e o ar.Os CARIJÓS OU PATOS) e do lado oposto os ARACHANES E CANANS, sobre o rio IBICUÍ-GRANDE E O URUGUAI para o norte os TAPES, nos campos da VACARIA OS CAÁGUAS, ao longo do rio Caí até o GUAIRA, VIZINHOS DOS BANHADOS DO iNHATIUM OS IAROS e ainda ao sul do IBICUÍ os GUENOAS e para oeste os CHARRUAS, dominando entre os rios NEGRO, QUARAIM E O URUGUAI.





Não são estes, como geralmente se há entendido, nomes distintos de raças ou nações, porém, apenas significativos ou apelidos meramene locais e referindo-se ou ao sítio habitado ou a costume ou feição mais peculiar a cada grupo. Estes diversos povos, com o decorrer do tempo, por motivo de intromissão dos europeus, se foram entrelaçando e fundindo ou arredando-se, de forma a não er desarrazoado tratar como principal para tipo geral, os guaranis, como os mais numerosos e organizados e depois os tapes, charruas e minuanos.





1-GUARANIS- eram de estatura média, reforçados e bem feitos, de cor acobreada. Tinham os sentidos muito apurados, olfateando DESDE MUITO LONGE A FUMAÇA E O FOGO, A CATINGA DO JACARÉ, E OUVINDO A CASCAVEL E O PISAR DO TIGRE, MUITO ANTES DE VER OS ANIMAIS.

Usavam a pesca também a ubá, canoa, feita de casca de certas árvores de grande porte.

Nenhuma cerimonia especial precedia o casamento, com a mesma facilidade com que tomavam mulher trocavam-na por outra, em certas ocasiões ofereceiam qualquer das suas mulheres a um amigo ou hóspede, este, ao partir, devia restitui-la.





No seu entender só ao pai se devia a vida do filho, sendo a mãe considerada apenas como guarda ou depositária da prole. A mulher depois de dar á luz ia com o filho lavar-´se no rio e continuava a lida diária, sem maior resguardo, em contra, conservava-se o marido deitado na rede e se abstinha de certas comidas.





Desde cedo ensinavam os rapazinhos o uso das armas e a maneira de fabricá-las.

Havia entre os da mesma tribo verdadeiro comunismo, nenhum comia ou bebia sem repartir com os demais.





Não conheciam a propriedade de terras ou de bens da raiz, nenhum possuia um campo como propriedade particular, era só enquanto lhe convinha ocupá-lo, temporariamente , como um bocado de sol ou a sombra de uma árvore.





2-TAPES- tinham os costumes comuns aos guaranis e habitos mais sedentários, sendo também de mais branda índole e entregavam-se boamente à catequese dos jesuítas e constituira,para diante, amalgamados aos guaranis , o povo sociável ás MISSÕES ORIENTAIS.





3-CHARRUAS E MINUANOS- corre em crônica que um inca , e tempo anterior à descoberta do NOVO MUNDO, tendo trazido uma invasão e conquista até a província argentina de TUCUMÃ , adiantaram-se forças suas até as margens do RIO DA PRATA, onde encontraram tribos índigenas, provávelmente de origem andina ,, que denominara CHARRUBAS, QUE EM LÍNGUA QUÍCHUA QUER DIZER RIBEIRINHOS.





E não é despropositado o aceitar-se a versão, atendendo a que os selvagens do Prata deram aos primeiros navegadores europeus a notícia da longinqua civilização e riqueza do império do sol que não era outro senão o PERU.

ERAM CHARRUAS E MINUANOS os dominadores das coxilhas. Usavam longos cabelos e trançados e cingiam a cabeça com um cocar de plumas de nhandú, vestiam-se de tangas de penas ou mantas( caipi)de peles de quadrupedes , muito bem sovados e que tingiam pela parte do carnal que era a que ficava para fora. Eram muito resistentes ao frio, à fome e à sede, agilissimos na carreira , um tanto nõmades, cada tribo ou bando de cinquenta famílias mais ou menos, carregavam as cobertas dos toldos, feitas de esteiras de táboas ou de couros e os demais apetrechos.

Quando após a ocupação, começaram os índios a ver os espanhóis a cavalo e servindo-se deles para a guerra e para o transporte trataram também de se apropriarem destes animais e tornaram-se admiráveis cavaleiros, montando em pêlo e sem freio, empregando em vez deste um anel(bocal) de guasca ao qual prendiam as rédeas pelo seu modo de domar, o cavalo cede para os dois lados, sob as rédeas unidas, ao passo que os europeus governavam puxando cada cana de rédea para o lado necessário.

De tal modo identificaram-se à montaria que SABIAM COMBATER ALINHADOS E FAZER CARGAS DE LANÇAS!

Os cavalos eram primorosamente amansados, uma das astúcias de guerra, que empregavam era de aproximar-se deitados sobre o dorso do cavalo ou sobre um dos lados, segurando-se às crinas, e cair, de improviso sobre o inimigo despercebido!





Na guerra e na caça gostavam de fazer as suas correrias nos lugares descampados. Os Charruas inventaram e atiravam eximiamente as boleadeiras , que faziam de pedras entalhadas , e bem assim o laço, aparelhos que empregavam também como arma.





quando os jesuitas vindos das Reduções de Guairá, lançaram com o acolhimento dos TAPES as primeiras capelas dentre IBICUÍ-IJUÍ grande, e trouxeram lotes de cavalos e vacuns, os CHARRUAS já conheciam estes animais. "









CONSIDERAÇÕES:

COMO OS INDIGENAS COSTUMAVAM TER QUANTAS MULHERES PUDESSEM SUSTENTAR, ESTA FOI UMA LUTA DURA PARA OS PADRES JESUÍTAS, PODE-SE DIZER QUE INGLÓRIA.



OUTRA LUTA FOI A DE "ENROUPAR" OS INDIGENAS. ELES SE SENTIAM PRESOS ÁS ROUPAS-UNIFORMES- CONTA-SE QUE FUGIAM E FICAVAM UM TEMPO FORA, DIZENDO QUE IAM CUIDAR DE DETERMINADAS ESTÃNCIAS DOS JESUÍTAS OU FAZER ALGUMA TAREFA E APROVEITAVAM PARA VOLTAR AOS SEUS COSTUMES, ÁS SUAS VESTES.



ESTES INDIOS, BONS CAVALEIROS, CHAMADOS DE VAQUEANOS OU TAPEJARAS POSTERIORMENTE AJUDAVAM OS JESUITAS NAS LIDES COM O GADO E DEPOIS DA DESTRUIÇÃO DOS SETE POVOS DAS MISSÕES MISTURARAM-SE COM OS PEÕES DAS FAZENDAS QUE PRECISAVAM DE BONS VAQUEIROS E DE BONS DOMADORES DE CAVALOS.

NO RIO GRANDE DO SUL AS ÚNICAS NAÇÕES INDÍGENAS QUE SOBREVIVEVEM ATÉ HOJE SÃO UNS POUCOS GUARANIS E OS KAINGANGS EM MAIOR NUMERO, COMO ERAM MAIS FEROZES E VIVIAM NAS MATAS MAIS AFASTADAS.



Postado por Ana Maria às 15:00 0 comentários:



Postar um comentário