GUERRA GUARANÍTICA

GUERRA GUARANÍTICA
A RESISTÊNCIA

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

quinta-feira, 1 de julho de 2010

O ADELANTADO ALVAR NUNES CABEZA DE VACA

Alvar Nunes Cabeza de Vaca tem uma biografia cheia de aventuras.  A sua primeira viagem  à América foi deveras conturbada e valeu uns bons 8 anos de cativeiro entre os indios ananarivo na costa do Golfo do México.  O navio em que ele estava, da expedição de Panfilo de Naváez naufragou. Ele e mais tres companheiros se salvaram.



Sua primeira aventura nas "Índias", isto é, América, foi ao sul do que hoje são os Estados Unidos e o norte do México: alistado na expedição de Pánfilo de Narváez à Flórida (1527), foi um dos quatro únicos sobreviventes dos 300 homens que naufragaram frente às costas da Flórida que, durante oito anos, viveram entre os índios como comerciantes e curandeiros.



Em sua maior parte os náufragos morreram de sede ou pelos nativos. Cabeza de Vaca permaneceu cativo dos índios Ananarivo na costa do Golfo do México junto com os também náufragos Alonso del Castillo, Andrés Dorantes de Carranza e Estebanico, que foi o primeiro homem nascido na África a pisar territorio dos Estados Unidos da América, e ainda que seja descrito como negro, na realidade era berbere.



Por seus próprios meios conseguiram escapar e vivendo entre os índios como curandeiros e magos graças aos conhecimentos médicos de Cabeza de Vaca ganharam a confiança dos nativos e fizeram várias explorações em busca de uma rota para regressar à Nova Espanha pelo que hoje é o sudoeste de Estados Unidos e norte do México. Depois de perambular durante longo tempo pela extensa zona que hoje é a fronteira entre México e Estados Unidos, chegaram à zona do Rio Grande ou Rio Bravo. Seguindo o curso do rio encontraram tribos dedicadas à caça de bisonte com as quais conviveram. Finalmente, às margens do Rio Petatlán, restabeleceram o contato com um grupo de exploradores espanhóis em Sinaloa em 1536.



Durante aquela viagem recolheu as primeiras observações etnográficas sobre as populações indígenas do golfo do México escrevendo uma narração chamada Naufrágios, publicada em 1542 em Zamora e em 1555 em Valladolid, na qual descreve suas vivências e as de seus três companheiros que atravessaram a pé o sudoeste dos Estados Unidos e norte do México.



mapa da primeira expedição