GUERRA GUARANÍTICA

GUERRA GUARANÍTICA
A RESISTÊNCIA

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

AS REDUÇÕES JESUÍCAS DO GUAÍRÁ

ESTE É O MAPA

Toponímia
A palavra Guairá vem do nome de um cacique da região chamado Guayrá ou Guayracá. “La Piñeria” (O Pinheiral) se deve porque grande parte da terra era coberta com o "Pinheiro do Paraná" (Araucaria angustifolia), também conhecida pelo nome de origem indígena, Cury.

 Límites

O Guairá tinha como limites o Rio Iguaçu (ao sul), o Rio Paraná (a oeste), a linha do Tratado de Tordesilhas (a leste) que a separava do Brasil (deste modo o Oceano Atlântico, acabou por ser o limite natural a leste de Guairá nestas latitudes), e o Rio Tietê (ou Añemby rio que separava os Guaranis dos Tupis) ao norte. A área de atuação dos Jesuítas foi desenvolvido em um território mais reduzido entre os rios Paraná, Iguaçu, Tibagi (ou Tibajiva, que era o limite efetivo com os portugueses) e Paranapanema.

 Principais características geográficas

A região consiste, em sua maior parte, em planaltos com cadeias montanhosas e serras cobertas por densas florestas de coniferas, sobretudo (dado o clima razoavelmente temperado na maior parte do território) pela Mata de Araucária. O território é atravessado por muitos rios, como o Paraná, Paranapanema, Iguaçú, Tibagi, Piquiri, Pirapó, Yapo etc.